dívidas - bloqueio de salários

DÍVIDAS – BANCOS PODEM BLOQUEAR SALÁRIO, BENEFÍCIO DE PREVIDÊNCIA OU CONTA CORRENTE?

Bloquear salário ou benefício de previdência tem se consolidado como estratégia dos bancos para cobrança de dívidas. Com as dívidas e a inadimplência os bancos aproveitam e cometem abusos. O resultado é o desespero dos trabalhadores, aposentados e pensionistas. Afinal todos têm contas a pagar, remédios e alimentos para comprar, mas o salário bloqueado pelo banco. Outros […]

Continue a ler...
garantia contratual

DÍVIDAS BANCÁRIAS – O QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA NEGOCIAR?

O que fazer quando as dívidas bancárias destroem o orçamento e comprometem a sobrevivência da família? Muitos consumidores entraram numa cilada e lidam com o desafio de ter todo seu salário comprometido com dívidas. Afinal, os juros do cheque especial ou cartão de crédito são exorbitantes e acabam comprometendo todo o salário. Neste post você […]

Continue a ler...
dinheiro de volta

DINHEIRO DE VOLTA – SETE SITUAÇÕES QUE O CONSUMIDOR TEM DIREITO!

São frequentes as situações em que o consumidor quer ser ressarcido com seu dinheiro de volta. Compras por impulso, defeitos no produto e danos materiais ou morais levam o consumidor a buscar seus direitos. Há também situações de compra de bens de elevado valor, como imóveis, com grave lesão aos direitos do consumidor. Contratos complexos e informação insuficiente […]

Continue a ler...
apólice de seguro de vida e planejamento financeiro

APÓLICE DE SEGURO DE VIDA – TRÊS ERROS COMUNS QUE PODEM PREJUDICAR SEU PLANEJAMENTO FINANCEIRO!

A apólice de seguro de vida não é um investimento, mas uma proteção social básica para o segurado e sua família. Espera-se que o segurado não precise usar o seguro! Mas se ocorrer uma fatalidade a apólice garantirá o custeio das despesas familiares e a renda da família se for bem contratada. Na contratação é […]

Continue a ler...
atraso nas parcelas do seguro

ATRASO NAS PARCELAS DO SEGURO – TENHO DIREITO À INDENIZAÇÃO?

Uma dúvida frequente do consumidor é quando ocorre atraso nas parcelas do seguro. Muitas vezes o atraso nas parcelas pode ocorrer por falha do consumidor. Afinal, quem não se esquece do pagamento ou não enfrenta dificuldades financeiras? Também pode ocorrer por falha nos serviços de débito automático do banco. Em outros casos, já presenciamos falhas […]

Continue a ler...
atrações radicais - direitos

ATRAÇÕES RADICAIS – QUAIS OS DIREITOS DO CONSUMIDOR QUANDO ACONTECEM ACIDENTES?

Quando atrações radicais resultam em acidentes ou tragédias, quais os direitos do consumidor? Ocorrências repetidas e graves à segurança dos consumidores têm causado real prejuízo às famílias em parques de diversões, resorts, clubes, e outros ambientes. Curiosamente, o estabelecimento tenta transferir ao consumidor a responsabilidade pelos riscos. Alega que a vítima decidiu espontaneamente participar de

Continue a ler...
Proteção Veicular

PROTEÇÃO VEICULAR NÃO É SEGURO! O QUE VOCÊ PRECISA SABER ANTES DE CONTRATAR?

Os consumidores têm se interessado cada vez mais pela proteção veicular. De fato, a diferença de valores é significativa! E a proteção veicular, na maioria dos casos, promete coberturas similares ao contrato de seguro. Por esse motivo, muitos têm vislumbrado uma boa ferramenta para reduzir custos do orçamento familiar. Para o consumidor desatento não existe […]

Continue a ler...
cobrança de dívidas

COBRANÇA DE DÍVIDAS – QUAIS OS LIMITES E OS DIREITOS DO INADIMPLENTE?

É correto e honesto que as dívidas sejam pagas! Para isso existem instrumentos de cobrança de dívidas legítimos à disposição do credor. O problema é que muitos credores querem causar constrangimento no devedor. Telefonam ao inadimplente em seu local de trabalho, para amigos e parentes, e deixam recados sobre as dívidas. Há também a cobrança digital, […]

Continue a ler...
golpe do boleto e responsabilidade do banco

GOLPE DO BOLETO – DESCUIDO DA VÍTIMA OU CULPA DA EMPRESA?

O que é golpe do boleto bancário? O golpe do boleto bancário é quando o cliente é enganado recebendo um boleto falso! O consumidor, por exemplo, compra um produto que não é entregue. Ao reclamar, descobre que pagou um boleto falso. Os valores pagos não foram encaminhados para o vendedor, mas para terceiros laranjas ou fraudadores. […]

Continue a ler...